Pular para o conteúdo principal

Amo e ofereço a minha dor

Tu Senhor sofreste e morreste 
sem deixar de amar.
Mesmo com o corpo chagado, 
louvaste o teu pai em teu coração. 
Sofrer amando: eis o desafio!

Confesso que a angústia invade o meu peito,
não posso negar,
mas mantenho a minha esperança. 

Na minha frente só vejo escuridão, 
mas continuo confiando
que verei a tua luz.

Meu amor por ti não será atingido, 
esse deve ser meu único apego.
Confio também que me amas
apesar dos meus pecados
e sei que nunca irás me abandonar.

Por isso continuarei caminhando.
Mesmo sofrendo,
mesmo sem saber por onde andar,
confio, e isso basta.
Amo e ofereço a minha dor.

Comentários

  1. Sofrer e continuar amando, que desafio imensurável, quase desumano!
    A angústia nos invade a alma ... mas, eu Creio, isso tudo irá passar! Deus é Misericordioso! Apesar do isolamento social, da distância, do medo e de todas as incertezas perante essa pandemia, não estamos sós. Deus e Nossa do Perpétuo Socorro estão conosco e estamos e permaneceremos Unidos em Oração! Que Eles renovem a sua força e confiança , pois em breve , estaremos novamente reunidos no nosso tão amado Santuário, para louvarmos e agradecermos, o fim dessa pandemia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei porque do vi hoje. Fiz o setenário de dores de Maria e fiquei pensando. Será que só a nossa diocese faz? E um exercício que eu não fazia . As missas eram demoradas. Mas fazer pelo Facebook foi muito gratificante. E este poema me fez lembrar as dores de Maria. Dores de muitas mães

      Excluir
  2. Amem padre Fagner!!! Confiamos!!!

    Juntos... na missa de Domingo de Ramos!!!

    Nos sustente senhor! Seja feita tua vontade! Que Deus nos fortaleça e nos coloque as palavras certas e solidárias ao outro! Neste tempo difícil!!! Que seja também tempo de conversão!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Top 10 da semana

Pedimos a tua benção

Em tuas mãos, Senhor

Rabuni

Assim é Maria

Socorrei-nos, ó Maria

Tocar as feridas

Hosana ao Rei!

A despedida

Vamos à luta

Tomai, todos, e comei