Pular para o conteúdo principal

Sensibilidade ecológica


Já reparou na nossa capacidade de reconhecer o valor das outras criaturas, que nos dá a capacidade de colocar limites em nossos interesses para evitar sofrimentos aos outros? Para o Papa Francisco, “a atitude basilar de se autotranscender, é a raiz que possibilita todo cuidado dos outros e do meio ambiente” (LS 208). Podemos superar o individualismo e desenvolver um estilo de vida alternativo, que torna possível uma mudança na sociedade (cf. LS 208).

Convido você a deixar crescer em seu coração a sensibilidade ecológica. Manifestar essa sensibilidade que está em você e lutar pelo meio ambiente, mesmo em meio ao contexto de altíssimo consumo e bem estar que vivemos hoje em dia desafiando o nosso propósito de opção radical por novos hábitos. Assim, o Papa acredita que estamos diante de um desafio educativo (cf. LS 209).


Podemos com a educação ambiental criar uma consciência crítica ao “mito” da modernidade de um progresso ilimitado, sustentado pelo mercado e pelo consumismo. O que podemos fazer é investir na humanização do próprio ser humano, ajudando-o a ser mais solidário com todos os seres vivos. A educação ambiental pode nos predispor-nos a dar um salto para o Mistério que nos impulsiona a solidariedade universal e para uma maior profundidade existencial

O ser humano possui profundidade. Ele consegue captar o que está além das aparências. “As coisas todas não são apenas coisas. São símbolos e metáforas de outra realidade que está sempre além e que nos remete a um nível cada vez mais profundo”. Captar a profundidade das coisas é o que chamamos de espírito. “Espírito não é uma parte do ser humano, é aquele momento pleno de nossa totalidade consciente, vivida e sentida dentro de outra totalidade maior que nos envolve e nos ultrapassa”. Tu és isso tudo, “o Reino de Deus está dentro de vós”. 

Vamos nos abrir e nos predispor a habitar poeticamente a Terra”, “senti-la como algo vivo, evocativo, grandioso e mágico [...]. A poesia supõe a criação, que faz com que a pessoa se sinta tomada por uma força maior do que ela, que lhe traz conexões inusitadas, iluminações novas, metáforas significativas. Sob a força da criação, a pessoa canta, dança e sai da normalidade”.

Postagens mais visitadas deste blog

O cuidado é um modo de ser

Hoje a Terra está ameaçada, como também a vida como um todo, devido às formas predatórias do tipo dominante de desenvolvimento que criou o aquecimento global. Será que há solução? Sim, há solução.  Nós podemos regenerar a terra, com padrões de produção que protejam as capacidades regenerativas da Terra; erradicar a pobreza; dar acesso universal à educação, ao cuidado da saúde; assegurar a dignidade humana, a saúde corporal e o bem-estar espiritual, dando especial atenção ao povo indígena e às minorias; promover uma cultura de tolerância, de não violência e de paz. Com essas medidas, nosso tempo será lembrado pelo despertar da celebração da vida. Na Terra não haverá mais lugar para o empobrecimento, para a guerra.
O primeiro passo é voltar à experiência base do ser humano que é o sentimento, o afeto, o cuidado que nos diz que a existência  jamais é pura existência e sim uma coexistência, “sentida e afetada pela ocupação e pela preocupação, pelo cuidado e pela responsabilidade no mundo co…

Mantenha a fé


meio em que vivemos traz consigo discussão e discórdia, mas, apesar de tudo, o justo viverá por sua fidelidade. 
Paulo, em algumas de suas cartas, pede para mantermos a fidelidade. Em qualquer coisa que formos construir, só com a perseverança e a fidelidade chegaremos ao final. A fé e a esperança são sempre o melhor caminho, não se pode deixar perder ou morrer a fé e a esperança em Deus primeiramente e, depois, no próprio ser humano. É verdade que há pessoas que se deixam corromper pelo mal, mas é também verdade que muitos lutam por um mundo melhor, dedicam-se para o bem, realizam o bem. Deus tudo conduz, apesar da desobediência humana, Deus está nos acompanhando, está nos conduzindo quando atravessamos as tormentas. Ele, com a sua misericórdia, não nos abandona. 


Não diferente de nós, os discípulos que caminhavam com Jesus sentem que, em alguns momentos, a fé pode falhar; são tentados, sentem fraqueza. Os discípulos, vendo essa dificuldade, pedem a Jesus que lhes aumente a fé, que nã…

Podcast Sabor da Fé