Pular para o conteúdo principal

Helena - Capítulo 3: O verdadeiro alimento


Helena
Um instrumento nas mãos de Deus

Capítulo 3: O verdadeiro alimento

            Chegou o grande momento da comunhão. Helena sempre se emociona. Para ela, esse mistério de amor é grandioso demais: saber que o próprio Deus quis se fazer pão, quis se rebaixar de sua grandeza e glória para ser pão que alimenta aquele que crê. Jesus, além de se fazer humano, pobre e frágil, quis ser pão. 
Ela entrou na fila, o coral entoava um lindo hino sobre a entrega de Jesus: “eu sou o pão da vida”, dizia a canção, fazendo com que ela ficasse ainda mais emocionada. Quando chegou a sua vez de receber a Eucaristia, ela não conteve as lágrimas. Voltou para o seu lugar e entrou em profunda oração, agradecendo ao Senhor por tão grande dádiva. Dizia não ser digna de recebê-Lo e pedia perdão pelos pecados cometidos. Depois começou a agradecer tentando conter a vontade de se prostrar no chão em adoração, pois estava tão plena de Deus, que sentia a presença Dele tomando todo o seu ser. 
Andrés não foi comungar, achou que não deveria, mas teve o desejo. Fechou um pouco os olhos e lembrou-se da sua Primeira Eucaristia. Na ocasião, ainda criança, não entendia muito bem o que se passava, apesar de ter recebido uma boa catequese. Há coisas que demoramos a assimilar, é preciso tempo e maturidade para entender a profundidade da fé. Apesar de não entender muito, ele estava feliz naquele dia, era de fato um momento especial que fazia a sua vida ter sentido. Era como se ele tivesse nascido para aquele momento da comunhão. Essa lembrança o emocionou.
            O padre deu a benção e a missa terminou. Andrés e Helena continuaram sentados, enquanto todos estavam se retirando. Depois de um pequeno intervalo, Helena resolveu dirigir a palavra ao Andrés. 
Olá, rapaz! Qual é o seu nome?
                Andrés ele respondeu.
Hoje eu estou aqui por sua causa. 
Como assim? ele indagou um pouco surpreso.
Hoje de manhã, eu estava rezando em meu quarto, quando senti que o Senhor queria que eu viesse para este santuário me encontrar com você.
Andrés olhou dentro dos olhos daquela mulher gentil, sentiu que ela falava de forma séria e com grande convicção. E aquele olhar penetrava sua alma, enchendo-o por dentro. Ele, então, resolveu se abrir.
Estou aqui depois de muito tempo disse Andrés –, quando criança, encontrei neste Santuário algo que me faz falta hoje, não sei exatamente o que é, talvez seja saudade daquele tempo, mas não sei se é só isso. 
Com certeza não é só saudade, Andrés! respondeu Helena com entusiasmo e um grande sorriso no rosto. O que você sentiu foi o seu coração clamando pelo Senhor. E eu tenho algo para te dizer: Ele também deseja muito encontrar-se com você. Na verdade, o que Ele realmente quer é ser o seu verdadeiro alimento. 
Andrés permaneceu em silêncio. De certa forma, o que aquela mulher dizia parecia fazer sentido, pois no fundo ele também já sabia, mas não tinha coragem de admitir para si mesmo. 
O que devo fazer? perguntou Andrés.
Apenas deixe Deus agir em seu coração, Ele vai tomar conta de tudo. Vamos rezar um pouco respondeu ela. 
Então, Helena pegou as mãos de Andrés, fechou os olhos e pediu que ele fechasse também. E rezou em voz alta: 
Senhor, aqui está o Andrés. Ele deseja ter o coração preenchido com a tua presença, não quer mais sentir-se só. Apenas Tu, Senhor, pode mostrar o sentido do seu viver e dar a ele a verdadeira alegria e a verdadeira paz. Como escutamos no Evangelho: “Do que adianta ganhar o mundo, mas perder a própria vida?” O Andrés não quer mais ver a vida passar sem sentido, por isso te pedimos que abra e preencha novamente o coração desse jovem para o teu amor, que é imenso. Obrigada, Senhor, porque sei que nos ouve.
Andrés já estava chorando ao ouvir aquelas lindas palavras que brotavam da oração de Helena, pois elas eram como flechas que iam no fundo de sua alma. Então ele acreditou que ela realmente tinha sido enviada por Deus. Ele não conseguiu falar nada, somente quis abraçá-la. E ali ficaram por um longo período. 
Aquele dia marcou a vida de Andrés. Algo mudou. Ele passou a rezar e a mergulhar cada vez mais na fé, enchendo a sua vida de sentido e Helena continuou dando apoio ao jovem, ajudando-o a enfrentar o desafio de cultivar a fé. 

FIM

As mais rezadas desta semana

És o Deus da Ressurreição

A ti, Senhor, todo o louvor! Mesmo que a morte me amedronte, vou lembrar: és o Deus da Ressurreição.
A imagem de tantos caixões, consequência desta peste, causa comoção, mas eu tenho a força da fé: és o Deus da Ressurreição.
Assim fala o Senhor Deus: "Ó meu povo, vou abrir as vossas sepulturas e conduzir-vos para a terra de Israel; e quando eu abrir os vossos túmulos e vos fizer sair delas, sabereis que eu sou o Senhor."
Aqui estamos, Senhor!  Que o medo não tome o nosso coração. O povo espera tua graça,  vem logo nos salvar.
Sei que embora nosso corpo  esteja ferido de morte, nosso espírito está cheio de vida,  pois o teu Espírito mora em nós.
Eu creio mais que tudo: isso vai passar, não estamos sozinhos, estás sempre conosco,

Amo e ofereço a minha dor

Tu Senhor sofreste e morreste  sem deixar de amar. Mesmo com o corpo chagado,  louvaste o teu pai em teu coração.  Sofrer amando: eis o desafio!
Confesso que a angústia invade o meu peito, não posso negar, mas mantenho a minha esperança. 
Na minha frente só vejo escuridão,  mas continuo confiando que verei a tua luz.
Meu amor por ti não será atingido,  esse deve ser meu único apego. Confio também que me amas apesar dos meus pecados e sei que nunca irás me abandonar.
Por isso continuarei caminhando. Mesmo sofrendo, mesmo sem saber por onde andar, confio, e isso basta. Amo e ofereço a minha dor.

Em tuas mãos, Senhor

O destino de todo discípulo  é o mesmo do mestre. Ajuda-me, Senhor,  a abraçar a minha cruz  como tu fizeste, ajude-me a entregar  a minha vida nas mãos do Pai.
Quem quer te seguir  escolhe sofrer e amar, uma espada de dor  atravessou o coração de Maria. É preciso abraçar a cruz para te seguir. 
No sofrimento  devo amar-te ainda mais, não é verdadeiro  quando se ama só na alegria. 
É no sofrimento  que devo reforçar a minha fidelidade,     esse é o verdadeiro momento da minha entrega. Em tuas mãos, Senhor,  coloco a minha vida.
Amém.

Pedimos a tua benção

Meu Deus,  o mundo está doente, muitos já morreram, e o povo está com medo.

O Papa nos convida a rezar
e pedir a tua benção, ele nos lembra que tu estás sempre conosco.
Fortalece a nossa fé, Senhor, só temos a ti! Diante de tua cruz,  pedimos tua misericórdia e, contemplando o rosto sofrido de Maria, clamamos a tua compaixão.

Sim, somos pecadores, mas o teu amor é maior, por isso pedimos a tua benção.

Unidos ao nosso Papa,  confiamos na força da tua eucaristia, adoramos este mistério  da tua presença no pão partilhado que nos revela o teu amor.

Por isso te pedimos  a tua benção,  o teu perdão  e proteção.

Amém!

A despedida

Tu és, Senhor, aquele que tudo conduz e meu destino está em tuas mãos. Nada acontece fora de tua presença, estás em todos os lugares. 
Uma flor foi esmagada, e tu estavas lá, acompanhando.
A flor, ainda vistosa e cheia de vida, se entregou a ti.
Despediu-se cedo,  esse fato é triste. Poderia embelezar o mundo  por mais tempo, mas cumpriu o que deveria.
Está agora em tuas mãos, porém, ainda embelezando  o olhar daqueles  que um dia puderam vê-la.
Que eu possa entender este mistério: que tudo para ti irá voltar, mas nunca irá terminar.
Amém.

Socorrei-nos, ó Maria

(pedido pelo fim da pandemia)
Maria Santíssima, que nas Bodas de Caná  estivestes atenta à necessidade dos noivos e para eles alcançastes o socorro de vosso Filho, pedimos agora a vossa poderosa intercessão.

Mãe amável, que diante da cruz  estivestes, junto a Jesus,  atenta aos sofrimentos de vosso Filho amado, olhai também para nós, vossos filhos, e intercedei ao Senhor de misericórdia, para que nos livre desse mal  que atinge toda a humanidade.

Mãe bondosa, que socorrestes vosso Filho em aflição, assim como neste ícone que veneramos, vos pedimos que acolhei também a nós, temerosos diante do mal que nos cerca.

Protegei-nos, amparai-nos,  e consolai-nos, ó amabilíssima  Mãe do Perpétuo Socorro. 

Amém

És, Senhor, a minha fortaleza

Senhor, que o amor e a fidelidade  sejam escritos em  meu coração  para que a tua luz  conduza todos os meus passos.

No teu coração, Senhor, eu quero estar, Esse é o meu lugar por herança,  é onde eu encontro a minha alegria.  És, Senhor, a minha fortaleza,  a casa bem defendida que me salva.

Assenta-te ao meu lado, falou o Senhor, e manterá tua palavra: serás sacerdote para sempre.

Eu amo o Senhor e vencerei meus inimigos, 
O Senhor mesmo garantiu.  Confiarei em Ti,  És meu  auxílio e escudo. 

A provação me libertou,  agora sigo firme tua lei,  aprendi a tua vontade.

Estendeu tua mão para mim  e me retirou de um charco de lama,  colocou os meus pés sobre a rocha  e devolveu a firmeza a meus passos.

Uma vida de Fé

Jesus foi um homem de fé, o seu modo de viver era a sua fé. Ele dizia: “Eu vim para fazer a vontade do meu Pai”, Ele se via como sal e luz do mundo, a fé era a sua fonte de vida. Ele mostrou que ter fé é viver a esperança de um mundo melhor, traduzindo essa fé em obras, sendo perseverante em todos os momentos, dando a contribuição para que o mundo seja mais iluminado. Não importa se a escuridão é grande, mas eu devo tomar a decisão de ser luz. Isso me lembra a história do beija-flor que queria ajudar a apagar o incêndio na floresta: 


“Certo dia, houve um grande incêndio na floresta e todas as áreas foram cercadas por um fogo denso. Os animais, atônitos, não sabiam o que fazer e nem para onde correr. De repente, todos pararam e viram que o beija-flor ia até a margem do rio, mergulhava, pegava em seu bico algumas gotas de água, voava até o fogo e deixava a gotinha cair sobre as labaredas. O elefante, vendo aquilo, disse-lhe: “Você está louco? Acredita que esta simples gota pode apagar um…

A verdade vos fará livres

Letra do samba da Mangueira 2020
Mangueira Samba que o samba é uma reza Se alguém por acaso despreza Teme a força que ele tem Mangueira Vão te inventar mil pecados Mas eu estou do seu lado E do lado do samba também Eu sou da Estação Primeira de Nazaré Rosto negro, sangue índio, corpo de mulher Moleque pelintra do Buraco Quente Meu nome é Jesus da Gente Nasci de peito aberto, de punho cerrado Meu pai carpinteiro desempregado Minha mãe é Maria das Dores Brasil Enxugo o suor de quem desce e sobe ladeira Me encontro no amor que não encontra fronteira Procura por mim nas fileiras contra a opressão E no olhar da porta-bandeira pro seu pavilhão Eu tô que tô dependurado Em cordéis e corcovados Mas será que todo povo entendeu o meu recado? Porque de novo cravejaram o meu corpo

Apenas a minha fidelidade

Irei me esvaziar  para que o amor do Senhor preencha todos os espaços.  Ele é meu verdadeiro tesouro e não os prazeres e riquezas desse mundo.  Retirarei os ídolos e suas tendas do meu coração. Saiam deste lugar que não é de vocês! Quem confia em Deus,  é envolvido pela graça e pelo perdão.

O Senhor sempre ouve aqueles que fazem a sua vontade,  o temem e observam os seus preceitos. Ó Deus, atendei a minha oração  e conservai na fidelidade o vosso servo. Pois para Vós eu fui separado e reservado.

O Senhor me ama, e eu amo o Senhor. Ele se torna íntimo daqueles que nele confiam e o temem. A aliança com o Senhor é o que mais quero, basta a minha fidelidade e dos inimigos Ele me defenderá, a unção será renovada, basta confiar.

O Senhor se entrega nas mãos daqueles que têm fé e confiança.  A mulher hemorrágica recebeu o poder de Jesus sem que ele desse permissão,  uma força saiu dele. A mulher pagã, não merecedora,  demonstrou tanta fé que o que ela queria já tinha acontecido, uma força saiu dele.