O coração que arde com a Palavra


Dois presos estavam separados por uma parede, tristes por se sentirem sós. Até que, de repente, um ouviu uma batida que vinha do outro lado e respondeu batendo na parede também; então ambos descobriram que poderiam se comunicar através da parede e se sentiram menos sós e um pouco mais aliviados. A parede que os separava era também aquilo que permitia que se comunicassem. Tudo depende do sentido que se dá. Um sofrimento pode ser para nós um muro que nos separa de Deus ou pode nos conectar ainda mais a Ele, caso utilizemos o sofrimento como um meio de encontro com o Senhor. É preciso bater nesse muro e ficar atento às batidas do outro lado e interpretar a linguagem de signos desse tipo de comunicação. Uma comunicação que só é acessível pela fé.  
Como vemos na história, uns se entregam de forma radical, outros encontram dificuldade em se lançar. A relação entre Deus e o homem acontece de forma misteriosa. Deus se dirige, silenciosamente, ao coração de cada ser humano e quando este se volta para essa dinâmica, se descobre e descobre o sentido da vida.
          Essa dinâmica está exemplificada no encontro entre Jesus e os discípulos de Emaús. Conversando pelo caminho, Ele faz o coração dos discípulos arder em chamas de fé e de esperança, mesmo na situação de desespero em que estavam.  A escuta do anúncio de Jesus provocou algo no coração deles que os fizeram desejar ir além. “E, começando por Moisés e passando pelos Profetas, explicava aos discípulos todas as passagens da Escritura que falavam a respeito dele”(Lc 24, 27). Mais tarde, os próprios discípulos vão dizer: “Não estava ardendo o nosso coração quando ele nos falava pelo caminho, e nos explicava as Escrituras?” (Lc 24, 32). Lá onde um grupo de pessoas caminha pela vida procurando descobrir o significado das palavras e obras de Jesus, lá onde se faz memória de sua paixão e se ouve a notícia de sua ressurreição…, é onde se faz presente o Ressuscitado. Pois a Palavra de Deus anunciada e acolhida por nós, é o próprio Espírito de Deus.
Quem experimenta o Senhor na sua Palavra e se alimenta de sua presença reconhece-o em todas as situações da vida. É preciso abrir a porta e dizer “fica conosco, Senhor”, para que possamos ter uma experiência com o Cristo e sentir arder o nosso coração.
O que nós podemos conhecer de Deus, muitas vezes pode parecer muito pouco, é como ouvir umas batidas do outro lado da parede, mas se insistirmos em bater e ficarmos atentos às respostas, nosso coração será inflamado de esperança e não vamos nos sentir sós. Se fizermos como aquela mulher que sofria de hemorragia e que teve a confiança de ao menos tocar no manto de Jesus (Mc 5, 25-34), ou se fizermos como aquele cego que gritava confiante quando Jesus passava (Mc 10, 46-52), Ele mesmo virá até nós para nos dar a cura e a visão que precisamos ter.

Pe. Fagner Dalbem Mapa, C.Ss.R.
Missionário Redentorista


Bibliografia:
Tomás Halík - Toque as feridas: Sobre sofrimento, confiança e a arte da transformação. Petrópolis: Vozes,2016.

Postagens mais visitadas deste blog

Café Vocacional - Entrevista com o Ir. Pedro, C.Ss.R.

Em comunidade, perseverantes na missão

Tocar as feridas

Café Vocacional com Sandra Hansen

Onde está a nossa alegria?

Sede perfeitos como vosso pai celeste é perfeito

Recomece

Imagens que nos ajudam

Vocação ao amor