Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2018

Café Vocacional com Sandra Hansen

Imagem
Neste programa, padre Fagner entrevista a Sandra Hansen, que nos fala sobre a sua experiência vocacional na coordenação do Ambulátório da Glória. Esse ano o Ambulatório completa 65 anos de trabalho, oferecendo assistência social, médica, odontológica, psicológica e espiritual aos mais necessitados. Veja o testemunho da Sandra

Sede perfeitos como vosso pai celeste é perfeito

Imagem
Seguir a Jesus não é um projeto individual, isolando-se dos demais. É, na verdade, uma peregrinação feita na companhia e com o apoio de outros. Ser discípulo de Jesus é ser solidário para com os irmãos e as irmãs com quem crescemos na experiência da fé, da esperança e do amor, pela ação do Espírito Santo presente na igreja como comunidade. A conversão de uma pessoa a Deus não é real se ela fica centrada em si mesma e não se abre ao próximo, para Jesus, o auge do ser humano é ser como Deus e agir a partir do amor gratuito e incondicional a todos. O amor é incondicional porque a relação de Deus conosco não se baseia na justiça, mas no amor gratuito. O Pai faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos (cf. Mt 5, 45), e nós como filhos deste Pai que é amor, devemos agir como Ele: “Sede perfeitos como vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5,48). Este é o convite feito ao cristão para conviver com seus irmãos, não segundo a justiça, mas segundo o amor. Está aí, p…

Café Vocacional - Entrevista com o Ir. Pedro, C.Ss.R.

Imagem
Neste programa, Pe. Fagner entrevista o Irmão Pedro Magalhães, missionário redentorista. Atualmente o irmão trabalha em Juiz de Fora como formador da Comunidade Vocacional Santo Afonso, onde moram os jovens aspirantes a vida consagrada da Congregação Redentorista. Ele também é membro da comunidade dos missionários que trabalham na paróquia da Glória. Acompanhe o seu testemunho vocacional

O coração que arde com a Palavra

Imagem
Dois presos estavam separados por uma parede, tristes por se sentirem sós. Até que, de repente, um ouviu uma batida que vinha do outro lado e respondeu batendo na parede também; então ambos descobriram que poderiam se comunicar através da parede e se sentiram menos sós e um pouco mais aliviados. A parede que os separava era também aquilo que permitia que se comunicassem. Tudo depende do sentido que se dá. Um sofrimento pode ser para nós um muro que nos separa de Deus ou pode nos conectar ainda mais a Ele, caso utilizemos o sofrimento como um meio de encontro com o Senhor. É preciso bater nesse muro e ficar atento às batidas do outro lado e interpretar a linguagem de signos desse tipo de comunicação. Uma comunicação que só é acessível pela fé.   Como vemos na história, uns se entregam de forma radical, outros encontram dificuldade em se lançar. A relação entre Deus e o homem acontece de forma misteriosa. Deus se dirige, silenciosamente, ao coração de cada ser humano e quando este se vol…