Igreja - Testemunha do Ressuscitado


Deus não se encontra lá em cima, nos céus, distante de nós. Ele se encontra peregrinando com o povo sofrido. Isso nos mostra a Bíblia, na vivência da libertação, conforme testemunha a mais antiga tradição israelita: Deus é experimentado como salvador e libertador da situação de escravidão no Egito. E na Teologia do Novo Testamento, onde Deus também é apresentado como salvador. O Evangelho de João, por exemplo, nos apresenta o Cristo que se encarna e assume a história humana como verdadeiro protagonista. Em Cristo, Deus caminha com os pobres e com os doentes, alimentando a todos, curando e libertando.
Portanto, tanto no Antigo como no Novo Testamento, o lugar para se encontrar com Deus não é “lá nas alturas”, fora do mundo, mas sim na história humana, ou melhor, nas dores e nos sofrimentos de todos aqueles que vivem na periferia do mundo.
Diante da manifestação salvadora de Deus, a resposta humana ou a vocação fundamental do ser humano, antes de qualquer coisa, é o chamado a acolher o dom do amor salvífico do Senhor. E a Igreja deve proclamar a dignidade da pessoa humana que é salva por Deus, deve ajudar os cristãos e as cristãs a perceberem que a salvação atinge o ser humano na sua totalidade. Isso porque Cristo encarnado dignifica toda criação e toda história. Cristo assume a humanidade por inteiro. Tudo que é humano adquire um valor inestimável, porque Jesus se encarnou.
O mistério da encarnação é uma inspiração para a Igreja, que deve despertar em cada pessoa o compromisso para a luta em favor da promoção e da defesa da dignidade humana. Não é possível entender e aceitar uma Igreja que não se preocupa com a vida social dos seus membros, pois ela é chamada a suscitar, no coração das pessoas, a resposta ao chamado divino para construir uma história diferente, marcada pela fraternidade e pela solidariedade.
Todo cristão deve ser Evangelizador, ou seja, capaz de fazer o anúncio explícito da Boa-nova do Reino, convocando pessoas vocacionadas para o grande mutirão de evangelização. A comunidade cristã precisa ser profética, precisa ser uma comunidade de pessoas corajosas, capazes de denunciar tudo o que é contrário ao projeto de Deus e de anunciar a libertação realizada por Ele. A Igreja deve ser um lugar de comunhão e de participação, onde as pessoas aprendem a servir com amor. Toda atividade da Igreja deve ser portadora dos sinais do Reino, contribuindo para a libertação integral. A Igreja deve ajudar cada pessoa a acreditar na vida, na presença do Ressuscitado em nossa história; a assumir com seriedade, amor e muita alegria sua vocação e missão.
Crer na ressurreição significa ajudar os jovens a não desanimar diante das dificuldades. Significa mostrar para eles que a vocação e a missão de cada um devem, necessariamente, passar pela experiência da cruz, a fim de desabrochar na grande manhã da ressurreição.
Pe. Fagner Dalbem Mapa, C.Ss.R. 
Missionário Redentorista


Bibliografia:
José Lisboa Moreira de Oliveira - Qual o sentido da vocação e da missão?
Afonso Garcia Rubio - Elementos de Antropologia Teológica.

Postagens mais visitadas deste blog

Santidade é Amar

Imagens que nos ajudam

Recomece

Onde está a nossa alegria?

O Ensinamento de Jesus

Café Vocacional - Entrevista com o Ir. Pedro, C.Ss.R.

Café Vocacional com Sandra Hansen

Em comunidade, perseverantes na missão

Tocar as feridas